Tolerância, você ainda vai exercitar a sua!

Na semana passada, eu escrevi sobre o processo movido pelo PSB (Partido do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci) contra a jornalista Thea Tavares, autora do blog “Lado B”, onde o partido acusa a jornalista de fazer campanha e influenciar o eleitor com suas postagens criticas com relação ao trabalho do governo municipal da capital paranaense. O assunto rendeu uma série de e-mails, muitos concordando com meu texto e alguns poucos me criticando por defender o aquilo que considero um direito da Thea ou de qualquer um, de expressar aquilo que pensa, mesmo que isso represente ser contrário ao pensamento de governantes ou de partidos políticos. Pois bem, respondi a todos, me chamou atenção uma coisa que estava presente em todos eles, direta ou indiretamente, a questão da Tolerância ou da falta dela.

Quando falamos em tolerância, propõe-se convivência harmônica entre os desiguais, entre aqueles que pensam ou vivem de forma diferente daquela que vivemos ou da forma de viver da maioria. Esse espaço, aqui na Gazeta 24 horas, me foi permitido para que abordasse temas políticos, sejam eles locais ou nacionais e não minha opinião fazer política é o exercício da tolerância, é você saber administrar diferentes interesses, idéias e projetos. Cada político, antes mesmo de entrar para a política, deveria fazer uma reflexão pessoal para analisar até onde vai a sua tolerância com os demais, principalmente com aqueles que pensam diferente dele. Quando olhamos para o que acontece na realidade, o que vemos é uma total intolerância com grupos antagônicos, quando alguém manifesta uma opinião diferente da deles (Políticos intolerantes), logo passa a ser tratado como “inimigo”, alguém que não merece crédito ou confiança. Ora, o fato de alguém pensar ou agir diferente de mim, não deveria tornar essa pessoa minha inimiga mortal e sim, deveria fazer com que eu buscasse aprimorar mais meus argumentos ou até mesmo revê-los, pois dependendo dos argumentos apresentados contrários aos meus, eu devo ter a humildade de reconhecer que posso estar errado ou enganado.

Eu não quero fazer nenhuma apologia de teoria da “Paz e Amor” do movimento hippie da década de 60 e 70, mas quero sim, fazer uma manifestação pela maior tolerância entre a sociedade e entre essa sociedade e seus pares. Eu sempre disse aqui que nossos políticos são literalmente nossos representantes, naquilo que temos de bom e no que temos de ruim também. Se não existe tolerância na política é porque ainda precisamos aperfeiçoar e muito a nossa tolerância enquanto sociedade. Ainda vemos casos de pessoas serem discriminadas, agredidas e até serem assassinadas por ser homossexual, ser negro, serem nordestinos, orientais, etc. Não consigo admitir que seres humanos ainda se matem em guerras ou no dia a dia por falta de tolerância. Isso nos afasta da condição de seres racionais e nos aproximam de verdadeiros “animais”, que não conseguem conviver com o contraditório. Uma simples e talvez “inocente” piada homofóbica pode ser o principio de um enorme preconceito contra homossexuais. Não gosto do que se acostumou a chamar de “Politicamente Correto”, acho isso uma espécie de censura prévia sobre o que pode ou que não pode ser dito ou feito. Mas, também não posso conceber que se discrimine quem quer que seja e de qual forma seja essa discriminação. Ora, você meu caro leitor pode perguntar, mas o que isso tem a ver com a nossa política e nossos políticos? E eu respondo: Tudo! Afinal, como já disse aqui nesse texto e em outras oportunidades, nossos políticos representam aquilo que somos. Tramitam diversos projetos no congresso nacional e dentre eles, um me chama especial atenção no que tange a questão da Tolerância, que é o projeto de lei que cria uma forma de incentivo do estado no “Tratamento da Cura da Homossexualidade”, um verdadeiro absurdo, pois não falamos de nenhuma doença e sim de uma opção/ação de um individuo quanto a sua opção sexual. Mas a intolerância não está somente no preconceito à homossexuais, falo das brigas de torcidas, ditas organizadas, em partidas de futebol, das teorias políticas que pregam a discriminação racial, falo da falta de respeito com uma pessoa apenas pelo sua condição, em tese, inferior financeiramente ou na relação de trabalho, enfim, falo de toda a forma de buscar subjugar, humilhar, discriminar ou até mesmo de agredir pessoas por suas diferenças.

Somos diferentes por natureza e isso tem que ser encarado como uma dádiva, não como algo abominável que precisa ser combatido. Não devemos tratar todo mundo de forma igual, e sim tratar todos com respeito e equidade, sabendo que cada ser humano tem sua individualidade, seus desejos, seus pensamentos e seus objetivos e nossa política deve aprender a respeitar isso também e mais, temos que, urgentemente, educar nossas crianças para que aceitem desde pequenos, as diferenças existentes em cada ser humano. Cada dia que passa, vejo mais intolerância em nossas crianças, os casos de bullyng vêm aumentando a cada dia nas escolas e isso só faz gerar mais conflitos e confrontos, criando uma sociedade cada vez mais intolerante e sem limites.

Educação, educação e mais educação somente dessa forma poderemos exercitar a nossa tolerância, transformar em um hábito o respeito ao próximo, para que nossos políticos aprendam a dar mais respeito a sua nobre função de nos representar, com respeito, compromisso e tolerância com nossas diferenças. Afinal, se até os brutamontes super heróis dos quadrinhos estão assumindo suas opções sexuais e “saindo dos armários”, por que nossa sociedade não possa aprender a conviver com aqueles que não comungam com nossas idéias, nossas convicções políticas ou simplesmente nossos times de futebol? Isso só depende de nosso esforço e de nossa vontade de tolerar mais e principalmente de ensinamos isso para nossos filhos, alunos e crianças em geral. Tolere mais, não dói e faz muito bem.


Thomaz Campos é  historiador, radialista, consultor em educação, especialista em marketing eleitoral.

Sua coluna versa sobre temas do cotidiano político. Mas ele também pode quebrar esta regra e escrever sobre o que quiser. Afinal a coluna é dele.

Twitter: @Thomaz_Campos
Blog: http://thomazcampos.blogspot.com.br/

 

Por em 4 jun 2012. Arquivado em Política. Você pode acompanhar quaisquer comentário a esta notícia através do RSS 2.0. Comentários e pings estão fechados no momento.

Comentários fechados.

Design by Design in Site
Todos os direitos reservados. Gazeta 24 horas.