INSS exige prova de Vida

O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) define como prova de vida a comprovação física da existência do pensionista de velhice ou de sobrevivência para manter o direito à prestação social.

A prova de vida é obrigatória e deve ser realizada anualmente por pensionistas de velhice ou sobrevivência. Para realizá-la basta comparecer com o documento de identidade junto a um posto de atendimento do INSS ou agências de atendimento. Quando o pensionista está acamado pode-se solicitar o serviço à domicílio.

No entanto a tecnologia também está avançando para este serviço, especialmente para os que recebem benefícios por meio de conta corrente ou poupança.

As principais instituições bancárias pagadoras dos aposentados e de quem recebe outros auxílios da Previdência Social,  como os Bancos Bradesco, HSBC, Santander e Banco do Brasil estão aderindo a biometria ou mesmo fazendo a prova de vida através de documentos.

O Banco Bradesco antecipou esse processo no final do ano passado, chamando para recadastramento cerca de 6,7 milhões de segurados que receberam proventos da instituição.

Outra instituição que já está fazendo essa prova de sobrevida é a Caixa Econômica Federal.

A partir de março, o segurado deve comparecer a qualquer agencia bancária (no caso a que recebe o beneficio) e apresentar a prova de vida, com um mês para efetuar o procedimento. Pede-se no momento, o cartão da conta do benefício e a identidade. Além desse documento, também poderá ser exigido o CPF e comprovante de residência.

O banco pagador é responsável em repassar a DATAPREV (Empresa de Tecnologia e Informação da Previdência Social) das informações que foram coletadas.

O segurado de idade avançada com dificuldade de locomoção ou por motivo de força maior não puder comparecer a uma agencia poderá eleger um representante legal. É preciso informar essa situação especial ao INSS que enviará um servidor a casa do beneficiário para fazer o recadastramento. Mas, o representante legal terá que providenciar uma procuração em cartório.

Biometria

Chama-se biometria a tecnologia que coleta dados físicos de uma pessoa como impressões digitais, altura, mapeamento da retina e outros que permitam identificá-la.

A Caixa Econômica Federal (CEF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) assinaram acordo de cooperação técnica nesta para acelerar a coleta de impressões digitais e fazer uso compartilhado dos dados biométricos dos brasileiros. O objetivo é usar as informações para garantir a segurança e evitar fraudes no pagamento de benefícios previdenciários, como aposentadoria, e do Programa Bolsa Família e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

O uso da biometria trará, além de segurança, agilidade e praticidade para o usuário, que não precisará mais fazer a memorização das senhas alfanuméricas”, destaca a Caixa, em nota.

Por em 18 abr 2013. Arquivado em Brasil, Geral. Você pode acompanhar quaisquer comentário a esta notícia através do RSS 2.0. Comentários e pings estão fechados no momento.

Comentários fechados.

Design by Design in Site
Todos os direitos reservados. Gazeta 24 horas.